O Ato de avaliar precisa ser revisto como possibilidade de mudança, uma prática em construção.

O fórum de discussão é uma importante ferramenta ao desenvolvimento da aprendizagem no processo educativo a distância, corresponde a um espaço permanente de interação-ação-reflexão-transformação do eu e do outro.

Convido a todos a refletirem, trocar experiências, bem como trocar conhecimentos sobre a perspectiva da avaliação de aprendizagens por meio de fóruns de discussão.

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Pesquisas sobre Avaliação de Fóruns de discussão

Caros colegas, a seguir apresento um breve comentário de algumas pesquisas que apontam características metodológicas e tecnológicas, adotadas em fóruns de discussão, permitindo a compreensão do processo de avaliação.

Filho e Oliveira (2006) apresentam a dificuldade da prática avaliativa em fóruns de discussão, pois acaba se caracterizando por parâmetros subjetivos e expectativas do professor. Neste sentido, apresentam a alternativa de um grupo de pesquisadores da UFRGS que organizaram parâmetros (participação passiva – 0 ponto, participações que não contribuem para a discussão – 1 ponto, contribuição isolada – 2 pontos, contribuição questionadora– 3 pontos, contribuição debatedora – 4 pontos, contribuição sintetizadora – 5 pontos) para avaliação em fóruns, e cada tutor a partir destes parâmetros pode definir seus próprios. Destacam a necessidade dos alunos saberem quais são os critérios de avaliação e a importância de instrumentos de auto-avaliação. Apontam também, a não participação máxima dos alunos ao fórum, de acordo com os parâmetros organizados, sendo necessária uma avaliação situacional no início das discussões para (re)planejar o debate.

Otsuka (2002) apresenta a análise da avaliação continuada em cursos do NIED, usando o Ambiente Teleduc na perspectiva da abordagem construcionista. A avaliação contínua foi utilizada com o objetivo de diminuir dificuldades de percepção da identidade dos alunos. Entre as atividades propostas no curso estavam as discussões por meio da ferramenta fórum, a ferramenta foi conduzida tanto pelos formadores, que incentivaram as trocas de opiniões e experiências, quanto pelos alunos, na atividade chamada seminário virtual, no qual levantavam questões, acompanhavam as discussões e avaliavam as participações. Em sua análise Otsuka apresenta que a natureza assíncrona do fórum possibilitou o aprofundamento de questões. Também apresenta pesquisas no desenvolvimento de agentes de software no sentido de auxiliar o acompanhamento contínuo dos formadores aos alunos, minimizando os esforços realizados para rastrear e analisar as grandes quantidades de dados, assim como, oferecendo dados adaptáveis às necessidades dos formadores.

Domingues (2006) apresenta alguns critérios que podem ser utilizados para avaliar fóruns de discussão. No que se refere a avaliação da participação do aluno considera para uma avaliação qualitativa alguns perfis de alunos: questionador, ausente, passivo e debatedor. Para uma avaliação quantitativa apresenta gráficos que ilustram quantidades de mensagens irrelevantes, mínima, máxima e moderada. No que se refere a avaliação de conteúdos de fóruns cita como parâmetros:
[...] a articulação entre o tema proposto e as considerações apresentadas, sejam na forma de questionamentos, dúvidas, contraposições, concordância e/ou aprofundamento; coerência na apresentação das considerações; demonstração da compreensão do tema estudado; condição de apropriação do conhecimento e autonomia na busca de novos conhecimentos. (DOMINGUES, 2006).
Quanto a avaliação dos procedimentos de comunicação sugere:
[...] Clareza e objetividade na apresentação das considerações apresentadas; capacidade de articulação e diálogo com os demais participantes do fórum, demonstrando condição de dialogar e superando a apresentação unilateral de idéias; Capacidade de análise do conteúdo e síntese de idéias; Polidez, cortesia e respeito as opiniões apresentadas. (DOMINGUES, 2006).
Domingues aborda outros assuntos importantes que influenciam no desenvolvimento do fórum de discussão e na sua avaliação, como por exemplo: normas para otimizar o uso da ferramenta, planejamento, procedimentos de construção, desenvolvimento e a dinâmica de gerenciamento de fóruns.

A partir da análise dos autores consideramos que o fórum de discussão é uma importante ferramenta ao desenvolvimento da aprendizagem no processo educativo a distância, corresponde a um espaço permanente de interação-ação-reflexão-transformação do eu e do outro. O desenvolvimento de diversas estratégias didáticas e programas elaborados especificamente para essa prática ajudam a minimizar e organizar o trabalho do tutor de acompanhamento aos alunos, bem como faz-se necessário a definição de critérios de avaliação e a apresentação destes aos alunos.

4 comentários:

Cristiane Oliveira disse...

Amigos, hoje ao estudar Otto Peters, capítulo 2 do livro A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EM TRANSIÇÃO me deparei com uma dúvida em relação ao que já tinha estudado e escrito...

“... bem como faz-se necessário a definição de critérios de avaliação e a apresentação destes aos alunos.”

Cirlane também postou comentários no sentido de “critérios bem definidos”. Então, vou postar aqui o meu questionamento colocado no fórum de discussão da disciplina, para que essa discussão seja ampliada para todos os visitantes deste Blog.

Será que o professor da “nova” pedagogia com abordagem pós-moderna tem como apresentar "critérios bem definidos" de avaliação para os seus alunos?

Faço essa pergunta levando em consideração o caráter mais aberto de educação que não determina um caminho único, bem como muitos objetivos são desconhecidos e modificados durante o processo ensino-aprendizagem.
Apesar de ainda não ter realizado estudos aprofundados sobre um currículo aberto, também acredito que ele tenha objetivos e um planejamento, mais não rígidos ou amarrados, como Cirlane citou estes vão se (re)estruturando e são (re)definidos ao longo do processo de aprendizagem.

No entanto, questiono para que estes critérios não signifiquem “resultados pré-definidos” ou “respostas esperadas”, acho, por exemplo, que critérios “não tão definidos” que possibilitem uma prática mais democrática na avaliação, critérios que fossem construídos no decorrer do processo, com a participação dos alunos seria bem interessante, até mesmo porque estamos pensando em uma prática em que os “estilos de aprendizagem dos alunos estão no centro de interesses”. Isto não implicaria em falta de clareza do processo avaliativo e nem falta de definição de critérios, mas sim em um processo em construção, dinâmico, que “sairia do padrão” voltado a eficácia que consiste em determinar em que medida os objetivos educacionais previstos estão sendo realmente alcançados. Já to eu querendo quebrar vários paradigmas não? Desculpem meus devaneios (risos).

Talvez seja interessante colocar este pensamento de outra forma: considerar os critérios pré-definidos não como “ponto de chegada” e sim como “ponto de partida”, ou então, no sentido de questionar mesmo a “definição de critérios” de avaliação, o ato de avaliar precisa ser revisto e estar imbuído de possibilidades de mudanças, por exemplo, em alguns países a valorização da mulher está atrelada ao seu peso, que critérios estamos julgando como corretos na formação de nossos alunos? Certamente neste meu exemplo de critérios construídos ao longo do processo, devemos tomar cuidado para não avaliar com base na produção do melhor aluno, não comparando um aluno a outro, e sim direcionar a avaliação à evolução do aluno em relação ao seu perfil inicial. Penso que o envolvimento do aluno neste processo ampliaria sua criticidade e aproximaria a avaliação de sua realidade.

Certamente os critérios avaliativos são importantíssimos no processo educacional, cada escola tem seus critérios que visam atender suas particularidades, deste modo um aluno aprovado em uma escola não significa estar aprovado em outra, é importante que o professor conheça a proposta da escola que orienta o processo avaliativo. Aspectos comuns sobre a avaliação são definidos em normatizações legais (LDB). Mas os critérios avaliativos peculiares de cada professor podemos questionar, não?

Talvez a “nova pedagogia” não exista de fato porque ainda precisamos ousar mais novos caminhos, não aceitar resultados “pré-definidos” ou amarrados, principalmente no que se refere a avaliação.

No fórum da disciplina a discussão está esquentando, o que você acha?

Abraços,
Cristiane Oliveira

Leonardo Augusto disse...

Olá Cristiane,

acabo de ter acesso a sua produção Pesquisas sobre Avaliação de Fóruns de discussão

e a mesma muito me interessou... ela é parte de uma produção maior que foi publicada?

vc pode me disponibilizar as referêncais (e se possivel, o material) que vc cita?

antecipadamente agradeço a atenção,

Finelli

EaD Educação disse...

A pesquisa que encontrei em seu blog sobre: Avaliação de Fórum a distância esta me ajudando muito,pois estou fazendo uma Pós sobre Metodologia e Gestão em EaD na Anhanguera Uniderp e estou aprendendo muito sobre essa ferramenta. No início da leitura fiquei um pouco perdido, mas com o aprofundamento na leitura e com as colocações de grande autores vi que essa ferramenta é fundamental para quem faz EaD, pois ela possibilita a tróca de idéias, conhecimentos, interação onde um participa e aprende com o conhecimento do outro. Mas também percebi que essa ferramenta só terá uma boa funcionalidade e será aproveitada se houver participação de todos os envolvidos neste processo de ensino como destaca autores a seguir. Otsuka( 2002) o Fórum deve ser conduzido pelos professores, incentivando a troca de opiniões e experiências, mas os alunos devem acompanhar as discussões e avaliações e a participar, assim o Fórum possibilita o aprofundamento. Já Domingues (2006) destaca que é preciso ter clareza e objetividade, articulação e diálogo entre professores e alunos com a capacidade de analisar conteúdo e respeito as opiniões apresentadas. Depois desses relatos, percebi que para termos um ótimo resultado com essa ferramenta devemos ser unidos, participativos e aprender e ensinar um ao outro ao mesmo tempo valorizando as idéias de todo o grupo onde professor e aluno se sinta responsável pela aprendizagem um do outro e além disso o maior objetivo não seja apenas aprender, mas também compartilhar o que ja aprendeu, dessa maneira o Fórum vai ser muito útil nesse processo de ensino. A distância não impede o conhecimento. Parabéns pelo blog.

EaD Educação disse...

Cometi um equívoco, A pesquisa a que me referi no outro comentário é sobre: Avaliação de Fórum de Discussão.